Somos parte da sua família

Acidentes Domésticos

Acidentes Domésticos

por Dra. Carla Dall`Olio

Quais os acidentes domésticos mais frequentes?

As quedas, seguidas por queimaduras. As lesões mais graves estão relacionadas ao calor e quedas de alguma altura.

Quais são os ambientes da casa que os acidentes acontecem com maior frequência?

Cozinha, banheiro, corredor, escada, quarto e sala. 

Cozinha

Principal acidente: Queimaduras

Dicas de prevenção

  • Mantenha as crianças longe da cozinha e do fogão, principalmente durante o preparo das refeições;
  • Cozinhe nas bocas de trás do fogão e sempre com os cabos das panelas virados para dentro;
  • Evite cuidar, ficar perto ou carregar as crianças no colo enquanto mexe em panelas no fogão ou manipula líquidos quentes;
  • Deixe comidas e líquidos quentes no centro da mesa, longe do alcance das crianças;
  • Não utilize toalhas de mesa compridas ou jogos americanos. As crianças podem puxar esses tecidos, causando escaldadura ou queimadura de contato;
  • Durante o banho do bebê, coloque primeiro a água fria e verifique a temperatura da banheira imergindo a mão inteira na água, espalhando os dedos e movendo a mão por toda a extensão da banheira, para ter certeza de que não há nenhum ponto muito quente;
  • Não deixe as crianças brincarem por perto quando você estiver passando roupa ou utilizando outro aparelho que produza calor, como secador de cabelo. Ao utilizá-los, desligue, tire da tomada e os guarde longe do alcance das crianças;
  • Verifique sempre o estado das instalações elétricas. Substitua as fiações antigas e desencapadas. Os fios devem ficar isolados em locais adequados como canaletas e conduítes e longe do alcance das crianças;
  • Evite ligar vários aparelhos eletrônicos em uma mesma tomada;
  • As tomadas devem estar protegidas por tampas apropriadas, esparadrapo, fita isolante ou mesmo cobertas por móveis;
  • Cuidados com eletrodomésticos em mau estado de conservação, como ventiladores e geladeiras. Eles podem causar choque e curto-circuito. Se possível, faça revisões ou a troca desses produtos;
  • Guarde fósforos, isqueiros, velas e outros produtos inflamáveis em locais altos e trancados, longe do alcance das crianças;
  • Muito cuidado com o álcool. Ele é responsável por um grande número de queimaduras graves em crianças. Guarde o produto longe do alcance delas. O mais seguro é substituir qualquer versão de álcool por outros produtos de limpeza doméstica, como água e sabão;
  • Nunca jogue álcool sobre chamas ou brasas, nem utilize esse produto para cozinhar;
  • Use velas e candeeiros somente em cômodos onde há a supervisão de um adulto. Garanta que elas não estejam perto de objetos inflamáveis, como isqueiros, acetona, móveis de madeira, cortina, mosquiteiro ou colchões;
  • Só acenda velas em recipientes apropriados, como lamparina, ou em um prato fundo com água;
  • Apague velas e candeeiros quando sair de casa, mesmo que seja por poucos minutos;
  • Deixe itens inflamáveis, como roupas, móveis, jornais e revistas, longe da lareira, do aquecedor e do radiador.

Alerta sobre o uso do álcool nessa época do COVID 19:

As queimaduras com álcool, quando acontecem com as crianças, costumam ser graves e necessitam de intervenção médica para o tratamento. Além disso, o uso em excesso do álcool, pode levar a lesões irritativas da pele.

Algumas recomendações quanto ao uso de álcool durante esse período:

  • Ensine as crianças a lavarem bem as mãos, com água e sabão, de forma adequada;
  • Não deixe fósforos, isqueiros e outras fontes de calor e energia ao alcance das crianças;
  • Caso tenha álcool em gel em casa, deixe-o fora do alcance de crianças, assim como devem ficar todos os produtos de limpeza da casa. E depois de manuseá-lo, não tenha contato com fontes de chamas como do fogão e isqueiros, por exemplo;
  • O uso do álcool em gel só é necessário quando não há a possibilidade de lavar as mãos, como quando se está na rua. Vale lembrar que ele também é inflamável e, apesar de sua composição física ter sido planejada para evitar a propagação do fogo, é necessário cuidado ao manuseá-lo.
  • Além disso, em caso de ingestão do álcool em gel ou do líquido, os danos à saúde da criança são os mesmos. Pode levar até a um coma alcoólico;
  • Não recomendo comprar o álcool líquido 70°, mas caso seu uso seja imprescindível em casa, ele deve ser guardado em frascos menores e armazenado em local alto e fora do alcance das crianças.

O que fazer em caso de queimadura?

Nas queimaduras de primeiro grau: lavagem com água corrente, na temperatura ambiente, por um máximo de um minuto. Este tempo é necessário para o resfriamento local, para interromper a atuação do agente causador da lesão, aliviar a dor e para evitar o aprofundamento da queimadura.

As queimaduras de segundo grau requerem outros tipos de cuidados para primeiros socorros. Além do procedimento imediato de lavagem do local lesado, proteja o mesmo com compressa de gaze ou pano limpo, umedecido, ou papel alumínio. Não fure as bolhas que venham a surgir no local. Não aplique pomadas, cremes ou unguentos de qualquer tipo.

Especial menção deverá ser feita quanto a certos hábitos populares prejudiciais como:  uso e aplicação de creme dental, manteiga, margarina ou graxa de máquina. É preciso ficar bem claro que não se pode usar qualquer espécie de medicamento tópico (pomadas) nestes casos.

O atendimento de primeiros socorros para queimaduras de terceiro grau também consiste na lavagem do local lesado e na proteção da lesão. Se for possível, proteja a área com papel alumínio. O papel alumínio separa efetivamente a lesão do meio externo; diminui a perda de calor; é moldável, não aderente e protege a queimadura contra microrganismos.

Quarto

Principais acidentes: Quedas e sufocamento

  • Se o quarto tiver beliche, as crianças menores de seis anos devem ficar na parte de baixo. Se não tiver escolha, instale grades nas laterais;
  • Evite posicionar camas e qualquer outro móvel perto da janela. Eles podem ser usados para escalar;
  • Ao escolher brinquedos, considere a idade e a habilidade da criança e busque sempre o selo do Inmetro. Evite brinquedos com pontas afiadas, como flechas, e os que produzem sons altos;
  • Sufocações podem ser causadas por brinquedos, travesseiros e lençóis dentro do berço. As grades do berço devem ter no máximo 5 cm entre elas;
  • Cuidado com quinas afiadas e mantenha os móveis longe de janelas e cortinas.
  • Cobertores e lençóis devem ser presos no pé da cama para evitar asfixia;

Sala

Principais acidentes: Quedas e sufocamento

  • Pisos escorregadios e tapetes oferecem risco de quedas. O ideal é colocar antiderrapante nos tapetes ou retirá-los do ambiente;
  • Use portões de segurança no topo e na base das escadas. Caso a escada seja aberta, instale redes ao longo dela;
  • Instale grades ou redes de proteção em janelas, sacadas e mezaninos;
  • Substitua fios elétricos desencapados e proteja tomadas com tampas, fita isolante ou mesmo móveis;
  • Tenha certeza de que o piso está livre de objetos pequenos como botões, colar de contas, bolas de gude, moedas e tachinhas. Tire esses e outros pequenos itens do alcance do bebê, pois, nessa fase do desenvolvimento, quase tudo que a criança pega vai à boca;
  • Cortinas ou persianas com cordas podem trazer o risco de estrangulamento, especialmente para os menores;
  • Cuidado com quinas afiadas! Prefira móveis com quinas arredondadas ou use protetor;
  • Mantenha os móveis longe de janelas e cortinas. Eles podem ser usados para escalar.
  • Os aparelhos eletrônicos devem ser deixados fora do alcance das crianças;
  • Bebidas alcoólicas, fósforos e isqueiros precisam ser acondicionados em armário alto e trancado;
  • Não tenha objetos e enfeites pequenos que podem ser engolidos ou aspirados;
  • Evite plantas ornamentais de fácil acesso.

Quedas

Dicas de prevenção

  • As crianças devem brincar em locais seguros. Escadas, sacadas e lajes não são lugares para brincar;
  • Use portões de segurança no topo e na base das escadas e corrimão. Caso a escada seja aberta, instale redes de proteção ao longo dela;
  • Mantenha as escadas livres de objetos;
  • Instale grades ou redes de proteção nas janelas, sacadas e mezaninos. Os espaços das redes e grades devem ser de no máximo 6 cm;
  • Mantenha camas, armários e outros móveis longe das janelas, pois eles podem facilitar que crianças os escalem e se debrucem para fora do prédio ou casa;
  • Cuidado com pisos escorregadios e coloque antiderrapante nos tapetes;
  • Crianças com menos de seis anos não devem dormir em beliches. Se não tiver escolha, coloque grades de proteção nas laterais;
  • Ensine as crianças a guardarem seus brinquedos depois de brincarem;
  • Nunca coloque o bebê conforto em lugares altos, com superfícies lisas e escorregadias, como mesas e balcões;
  • Mantenha sempre uma mão segurando o bebê durante a troca de fraldas. Nunca deixe um bebê sozinho em mesas, camas ou outros móveis, mesmo que seja por pouco tempo;
  • O uso de andadores não é aconselhado pela Sociedade Brasileira de Pediatria. Além de comprometerem o desenvolvimento saudável da criança, podem causar sérias quedas;

O que fazer em caso de quedas

Em caso de edemas, entorses, fraturas prováveis, manter o membro imobilizado e encaminhar para emergência mais próxima.

Em caso de quedas com trauma craniano levar para emergência imediatamente caso apresente:

  • Vômitos;
  • Alteração da consciência, sonolência, desmaios, irritabilidade;
  • Cefaléia;
  • Dificuldade para falar e andar;
  • Alteração do comportamento;
  • Crise convulsiva;
  • Hematomas ou alterações na cabeça;
  • Trauma em menores de 3 meses
  • Queda de mais de 1 metro;
  • Trauma com velocidade;
  • Impacto de objetos na cabeça.

Dra. Carla Dall’Olio

Alergista Pediatra

Qualquer dúvida estou a disposição!

Instagram has returned empty data. Please authorize your Instagram account in the plugin settings .

Instagram

Instagram has returned empty data. Please authorize your Instagram account in the plugin settings .